A cada dia que passa, mais pessoas e empresas procuram por Assessments capazes de auxiliar no autoconhecimento e desenvolvimento.

O líder deve ser entusiasmado, otimista, motivado, participativo, ter espírito de equipe, saber delegar tarefas e cobrar resultados. O líder centralizados, que se irrita facilmente perde o respeito e não se mantém no mercado de trabalho.

Existem diversos estudos e pesquisas sobre estilos de liderança. O estudo da Worth Ethic Corporation é baseada na pesquisa pioneira sobre influência Alpha, realizada por Jon Bentz em meados da década de 1980.

O termo Alpha vem da biologia e é usado no estudo da ordem social dos animais superiores para designar o líder, aquele que se destaca por sua força e habilidades, exercendo assim um domínio natural sobre os demais.

Ao conduzir uma pesquisa com gerentes da Sears, cuja carreira havia descarrilado, Bentz constatou que, embora esses profissionais possuíssem uma série de características positivas, de grande valia para sua ascensão profissional, eles também apresentavam problemas de caráter ou de personalidade que os alienavam de seus subordinados e os impediam de construir times eficazes.

Esta dificuldade e descarrilamento de grandes executivos se tornou um grande problema organizacional. Segundo pesquisa feita por DeVries e Kaiser, 50% da carreira dos executivos terminam em fracasso, causando um grande prejuízo que vai de U$ 750 mil e U$ 1.5 milhão.

Kate Luderman e Eddie Earlandson, presidente e vice-presidente da Worth Ethic realizaram estudos para a Harvard Business Review, com mais de dois mil executivos de alto escalão das empresas e do governo dos EUA no período de 05 anos. A pesquisa deu origem ao livro A Síndrome do Macho Alpha – Por que mudar antes de sabotar a sí próprio e à sua empresa.

Esta pesquisa e livro deram origem ao Alpha Assessment, que identifica dois estilos de liderança: Alpha e Beta.

 

Pontos fortes Alpha:

•Discreto ao buscar resultados.
•Diplomático.
•Prudente em relação aos riscos.

Pontos fortes Beta:

•Discreto ao buscar resultados.
•Diplomático.
•Prudente em relação aos riscos.

Todos nós temos estilos automáticos para influenciar pessoas, que com frequência são inconscientes e possuem certos padrões de comportamento e pensamento. Alguns são eficazes e outros não. Esses estilos costumam ser desenvolvidos na infância para evitar dor ou obter reconhecimento. Outro ponto a ser considerado em relação ao Apha é que estes estilos automáticos intensificam-se à medida que o stress aumenta.

A ferramenta identifica o estilo Alpha e faz um enquadramento entre os quatro estilos encontrados na pesquisa.

Por meio do assessment é possível identificar qual é o tipo alpha predominante no indivíduo (comandante, visionário, estrategista ou executor) e promover o autoconhecimento, autodesenvolvimento e melhora nas relações interpessoais.

 

O assessment é uma ferramenta de conscientização e não de diagnóstico. 

 

Your browser is out of date. It has security vulnerabilities and may not display all features on this site and other sites.

Please update your browser using one of modern browsers (Google Chrome, Opera, Firefox, IE 10).

X